Single Blog Title

This is a single blog caption

Faixa Preta de Jesus investe em jovens de Nova Iguaçu

Share on Facebook8Tweet about this on Twitter
FPJ06

Projeto Faixa Preta de Jesus funciona há oito anos em Nova Iguaçu e atende 400 pessoas hoje (Fotos: Marilia Felipe)

“Lutar” é uma expressão utilizada pela maioria das pessoas que mora em territórios periféricos. Metaforicamente ou não, viver diariamente em uma rotina de violência e privações é uma luta. Munido deste espírito, Ricardo Cavalcante, de 47 anos, luta para manter seu projeto, o Faixa Preta de Jesus, de pé. Ricardo passou boa parte de sua juventude viciado em drogas, até que veio a catarse: ele viu uma família evangélica se divertindo e resolveu mudar de vida. Entrou para a igreja e pouco tempo depois elaborou o projeto que une religião e artes marciais.

Morador de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Ricardo criou o Faixa Preta de Jesus há oito anos e desde então vem transformando a vida de moradores da região. Ele conta que já atendeu mais de 15 mil alunos durante este tempo e hoje tem 400 inscritos que praticam gratuitamente as modalidades de Jiu-Jitsu, Boxe e MMA.

12570995_10153496934069217_1851939911_n

Will Smit tem onze anos e é um dos contemplados

Um deles é Will Smit, de 11 anos. Ele conta que antes de entrar para o Faixa Preta só ficava na rua, mas que agora já sonha em ser um atleta. “Hoje o boxe e o Jiu-jitsu são tudo na minha vida. Com o projeto eu até consegui uma bolsa para estudar inglês”, empolga-se Will, que não descarta também ser artista, já que encontrou Arnold Schwazenegger em um evento e conseguiu até lhe dar um abraço.

Apesar de seu viés religioso, a iniciativa abraça sem preconceito todos os que querem fazer parte dela. “Não importa sexo, cor, religião, idade, nada. O importante é abrir as portas para todos”, garante Ricardo.

Trabalho multidisciplinar

FPJ05

Ricardo (de vermelho) toca o projeto e exige notas boas dos alunos

O time que compõe o projeto é composto por, além dos professores, também psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e outros voluntários que doam seu tempo e conhecimento para ajudar a iniciativa. O Faixa Preta também conta com outros apoios, como a igreja Apascentar, irmãos Minotauro e Minotouro, entre outros.

O objetivo principal não é formar apenas atletas, mas também oferecer aos jovens que vivem em situação de vulnerabilidade formação cidadã, além de equillíbrio emocional e espiritual. “É um projeto com muita disciplina, onde eles são cobrados de estarem na escola e tirarem boas notas. Também fazemos reuniões com os familiares, orientamos sobre higiene pessoal, sobre a imagem deles nas redes sociais, ou seja  o jovem tem que desejar fazer parte da família Faixa Preta de Jesus, tem que querer vencer as drogas e as marcas da violência”, explica Ricardo.

FPJ03

Tiago Mamute conseguiu abandonar as drogas e hoje dá aula no projeto

Tiago Mamute, de 22 anos, é um dos exemplos. Ele conseguiu abandonar o vício em crack depois que começou a lutar. “Eu cheguei a pesar apenas 30 kg, meu pai foi me buscar na cracolândia e me trouxe para cá, hoje eu sou o orgulho da minha família”, conta ele, que hoje é faixa roxa de jiu jitsu e professor do projeto. “Graças ao Faixa Preta eu estou vivo”, comemora.

Segundo o Mapa da Violência, divulgado em 2015, Nova Iguaçu ocupa o posto de 63º município onde mais jovens são assassinados no Brasil. Foram 574 homicídios ocorridos entre 2010 e 2012. Mesmo assim, a cidade ainda não conta com políticas públicas específicas para a juventude mais vulnerável. É nesta lacuna que o Faixa Preta para Jesus entra, na tentativa de tirar os jovens de situações de risco. “Vale muito a pena ver nossos jovens participando de torneios nacionais e até internacionais, conhecendo grandes nomes do UFC, mudando sua história de vida e da sua família”, garante Ricardo, que explica ainda que muitos jovens que passam pelo projeto também acabam virando instrutores, como foi o caso de Mamute.

Apesar dos apoios que recebe, o projeto ainda vive de aluguel. O maior sonho do time é construir um centro de treinamento, em um terreno que já foi doado pela prefeitura da cidade. O local é emblemático: na Rua Gama, no bairro da Posse, local que ficou marcado pela chacina da Baixada em 2005.

Quem quiser conhecer de perto ou apoiar o trabalho desenvolvido por Ricardo e companhia, basta acessar o site www.faixapretadejesus.com.br ou entrar em contato no telefone 99559-7089.

 

 

Deixe uma resposta

Parceiros